Após denúncias, procedimento vai investigar abuso policial contra rapaz deficiente, em Tijucas

03/09/19 às 14h14
Atualizado em 03/09/19 às 14h06

 Na noite da última sexta-feira (30/08), moradores da localidade do bairro Praça expressaram, através das redes sociais, manifestações de indignação, após terem presenciado uma ação na Delegacia de Polícia Civil de Tijucas.

Segundo os relatos, o morador de Tijucas Silvano Rocha, que sofre de deficiência intelectual e sempre frequenta eventos na cidade, estava acompanhando o ensaio de uma fanfarra ao lado da Delegacia, quando em determinado momento, teria se aproximado do muro do prédio para urinar. Um agente que estava na DP percebeu a ação de Silvano e teria o rendido por tal fato.

A indignação das pessoas, que procuraram a reportagem da Rádio Vale, se deu pela forma como o policial teria procedido a ação. Segundo os presentes, o agente apontou uma arma para Silvano e teria usado da força, devido a resistência do rapaz, que foi algemado para a realização do Boletim de Ocorrência.
Após a realização do procedimento, cerca de uma hora após a confusão, Silvano foi liberado.

Após pedidos de parentes do rapaz, ainda protestando pela ação, a reportagem da Rádio Vale entrou em contato com o delegado da comarca. Paulo Freyesleben informou que, segundo a versão apresentada pelo policial envolvido na ação, “ele estava de plantão na Delegacia de polícia e, ao ouvir a fanfarra, foi ver o ensaio.

Ao sair da delegacia, surpreendeu o rapaz urinando na entrada (ou próximo) da delegacia e autuou o mesmo em um Boletim de Ocorrência pelo crime de ato obsceno.

Ao iniciar o registro da ocorrência o rapaz teria ficado agressivo e agitado, razão em que houve o uso das algemas”, relatou.

O delegado afirma que devido as informações de um suposto abuso, foi instaurado um procedimento policial para apurar melhor os fatos, situação já informada a Corregedoria de Polícia Civil e ao Ministério Público.

Por Sidnei Miranda /Rádio Vale - Foto: Jornal Razão