Associação Protetores do Rio Tijucas manifesta contra má extração de recursos do rio em São João Batista

18/01/18 às 14h14
Atualizado em 18/01/18 às 14h47

Na tarde desta quarta-feira (17), moradores dos bairros Fernandes e Colônia Nova Itália de São João Batista, estiveram reunidos com representantes da administração municipal, para discussão de um assunto polêmico e complicado, a extração de recursos minerais do Rio Tijucas.

Os moradores locais, prejudicados a anos com a má extração dos recursos, se organizaram em uma associação, batizada de Protetores do Rio Tijucas, onde não apenas os moradores, mas a sociedade civil interessada na preservação do meio pode participar e se manifestar. Os membros da associação conversaram durante pouco mais de duas horas, com o Secretário de Desenvolvimento Plácido Vargas, que responde também pela pasta do Meio Ambiente, com advogados e a engenheira ambiental Fernanda Brasil.

A movimentação ocorreu após a comunidade tomar conhecimento de que uma nova extração de areia está sendo implantada na localidade. Fato que revoltou todos os moradores que estão sendo prejudicados há anos com a situação.

Os moradores reclamam que as extratoras estão explorando mau os recursos, degradando as margens dos rios, fazendo com que os mesmos percam suas propriedades, há relatos de trechos onde o rio já desbarrancou mais de 20 metros, além do prejuízo financeiro direto, há também a preocupação com as questões ecológicas, já que não são poucos os registros de óleo das lanchas utilizadas na extração derramado nas águas, o risco de desabamento de terra próximo a pontes e estradas também é eminente segundo os moradores.

Os representantes da administração colocaram que “nada pode ser feito se as empresas tiverem todas as liberações legais, que independem da vontade da municipalidade, já com relação empresas que não detém as licenças, serão fiscalizadas e coibidas de extrair o minério”.

Os associados relatam que continuam na busca de que a situação seja resolvida, já que é dever das empresas além de recuperar a área degradada, explorar os recursos com consciência, de forma que não sejam prejudicados os moradores e a flora local.

 

Clubei