Morador de Porto Belo morre duas vezes em hospital

12/04/19 às 19h19
Atualizado em 13/04/19 às 13h15

 Um caso inusitado registrado em Itajaí causou polêmica na região. Confira na reportagem do Diarinho:

Um paciente morreu duas vezes e no mesmo dia no hospital Marieta Konder Bornhausen, de Itajaí. Na manhã de quarta-feira, o servente de pedreiro Claudemir Pedro da Silva, o Zinho, 48 anos, teve o óbito atestado pelos médicos pela primeira vez. Chegou a ser retirado do quarto e, à tarde, como ainda respirava, foi levado às pressas para a UTI e pouco depois das 17h morreu novamente - desta vez, de verdade.

O relato sobre o homem que morreu duas vezes foi feito ao DIARINHO por um familiar. Um funcionário da funerária que foi chamada duas vezes para o mesmo morto confirmou a história. O Marieta, até às 21h de ontem, não havia se manifestado.

De família humilde, Zinho morava em Porto Belo. Há alguns anos vinha sofrendo com um câncer no pulmão. Era um primo, que mora em Itajaí, quem o acompanhava no tratamento no centro de oncologia do Marieta.

Na noite de segunda-feira, o servente começou a passar mal e precisou ser internado na unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do hospital. "Aí, pela manhã de terça o Marieta avisou que ele tava morto", contou o parente, que pediu para não ter o nome divulgado.

Tava respirando

A família de Zinho começou a tratar do enterro. A primeira medida, conta o parente, foi chamar a funerária Jardim da Paz, que é de Bombinhas mas tem filial em Porto Belo, cidade do morto.

Nesse meio tempo, conta o familiar do paciente, aconteceu algo estranho. "Os funcionários do necrotério viram que ele tava respirando. Não tava acordado, mas tava respirando. Daí ele subiu de novo pra UTI", relata o parente de Zinho.

O servente voltou a ser entubado e logo depois das 17h acabou falecendo. Dessa vez, o óbito foi atestado com toda a certeza pelos médicos. "Pra mim teve negligência do Marieta, não pode ser outra coisa", acredita o parente de Zinho. A família foi informada que a direção do Marieta abriu um procedimento interno para apurar o caso.

Agente funerário confirma

Sérgio Maciel, 44 anos, é funcionário da funerária Jardim da Paz. Foi ele quem, no mesmo dia, foi chamado para ir buscar o corpo do homem que "morreu duas vezes". "Cheguei lá umas duas da tarde e uma parente do morto veio me avisar que ele viveu de novo", disse o agente funerário, ao DIARINHO, confirmando o mesmo relato feito à reportagem. "Já pensou se eu trago o corpo para a funerária? O que é que ia acontecer", comentou.

No final da tarde, Sérgio voltou ao Marieta por conta da segunda morte de Zinho e finalmente levou o corpo para Porto Belo. O servento de pedreiro foi sepultado ontem à tarde.

Por incrível coincidência, esta é a segunda vez que um corpo que Sérgio vai buscar ressuscita. "A primeira faz uns dois anos. Um rapaz de 54 anos, lá de Itapema, morreu e quando cheguei veio uma guria rindo dizendo que ele levantou da mesa", lembra.

Fonte: Diarinho