Pesquisadores catarinenses descobrem e catalogam nova espécie de pterossauro

20/08/19 às 19h19
Atualizado em 20/08/19 às 19h20

Foto: Universidade do Contestado/Divulgação

Um réptil voador que viveu entre os 80 e 110 milhões de anos atrás foi apresentado à comunidade cientifica nesta terça-feira (20). O animal inédito é fruto de anos de pesquisas coordenadas pelo Centro Paleontológico da Universidade Contestado (CENPALEO) da cidade de Mafra, no Norte de Santa Catarina.

A ossada do pteurossauro foi batizada de Keresdrakon Vilsoni, que significa Dragão Espírito da Morte. O achado foi analisado entre os anos de 2012 e 2014 na universidade catarinense após coleta de material em Cruzeiro do Oeste, cidade do Paraná.

Nesta terça, a descoberta da espécie foi publicada na revista da Academia Brasileira de Ciências. A suspeita é que o animal vivia em pequenos grupos em áreas desertas, com pouca vegetação e oásis de água. O réptil voador é contemporâneo dos dinossauros, carnívoro e foi considerado de grandes dimensões, com bico grande e forte. Pesquisadores estimam que ele tinha 2,50 metros de envergadura e entre 15 kg e 20 kg.

O estudo também contou com a participação da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Universidade Paranaense (Unipar). O fóssil de réptil voador está em exibição no Museu da Terra e da Vida, na Universidade do Contestado, em Mafra.