Deputados acionam justiça para suspender cobrança do pedágio em Bombinhas

19/04/24 às 18h18
Atualizado em 19/06/24 às 16h43
Visualizações: 1880

Foto: Arquivo/Divulgação

Quatorze deputados estaduais assinaram uma ação direta de inconstitucionalidade, protocolada no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), solicitando a suspensão da cobrança da Taxa de Preservação Ambiental de Bombinhas (TPA). A iniciativa, liderada pelo deputado Ivan Naatz (PL), contesta a legalidade da taxa à luz de uma alteração constitucional feita pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) em 2020, que proibiu pedágios municipais.
Detalhes da Ação

Esta é a primeira vez que deputados estaduais se unem em uma ação judicial para fazer cumprir uma medida aprovada pelo Legislativo.
Além de Naatz, a ação conta com a assinatura de outros 13 parlamentares, a maioria da base do governo, e tem como relator no TJSC o desembargador João Henrique Blasi, que já foi deputado estadual.
A petição argumenta que a arrecadação com a TPA é feita de forma ilegal e questiona o destino dos recursos, alegando que não são aplicados em projetos de preservação ambiental, conforme determinado.
A prefeitura de Bombinhas justifica a continuidade da cobrança com base em uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de 2019, que considerou a taxa constitucional.

 


Impasse e Decisões Futuras

Além da ação judicial, Naatz protocolou uma proposta de decreto legislativo na Alesc para revogar a TPA, diante da recusa da prefeitura em suspender a cobrança. No entanto, a tramitação do projeto enfrenta impasses nos bastidores.

Para que o projeto seja distribuído, depende da 1ª Secretaria da Assembleia, atualmente comandada pela deputada Paulinha (Podemos), ex-prefeita de Bombinhas e responsável por instituir a TPA no município.

O embate político entre Paulinha e Naatz, iniciado na última legislatura, permanece em evidência diante da divergência sobre a cobrança da taxa.

 

 

 

 

Fonte: Vipsocial

Getsites