Escola é batizada com nome de professora que foi morta e teve bebê roubado da barriga em Canelinha

05/02/24 às 09h09
Atualizado em 23/02/24 às 13h41
Visualizações: 306

Fotos: PMC/Divulgação

A semana passada marcou a inauguração de uma nova escola no Bairro Cobre, em Canelinha. A instituição, uma das pioneiras na oferta de ensino integral na região do Vale do Rio Tijucas, foi batizada com o nome da professora Flávia Godinho Mafra. Flávia foi vítima de um crime brutal em 2020, quando teve seu bebê roubado da barriga, um caso que chocou o Brasil.

A escolha do nome é uma homenagem à memória de Flávia, que, na época, estava grávida de 36 semanas. O crime ocorreu após ela sair para um chá de bebê, sendo posteriormente assassinada. A criminosa, Rozalba Maria Grime, foi condenada a 56 anos e 10 meses de prisão pela Justiça de Santa Catarina em 2021.
A nova instituição de ensino busca honrar a trajetória de Flávia, destacando-se como uma das primeiras a oferecer ensino integral na região.

Relembre o caso:

O crime ocorreu em agosto de 2020 e deixou a cidade de Canelinha consternada. Flávia, grávida de 36 semanas, desapareceu após sair para um chá de bebê. A amiga que a acompanhava afirmou ter tido o bebê na rua, mas sua versão levantou suspeitas. O bebê apresentava cortes nos braços e nas costas, e a mulher não apresentava sinais de ter passado por um parto recente. A polícia foi acionada, desvendando o crime que chocou o Brasil e resultou na condenação da assassina.

 

 

 

 

Fonte: Vipsocial

Getsites